Cirurgia no cancro de pulmão de células não pequenas

Dr.ª Rita Costa

Interna de cirurgia torácica no Centro Hospitalar Universitário de São João

Apresentação oral 

Results of Surgery in Non-Small-Cell Lung Cancer – a retrospective study

A cirurgia mantém-se como o tratamento de eleição no tratamento do cancro do pulmão, mas apenas nos estádios precoces (cerca de 30% de todos os novos casos diagnosticados). 

O nosso objetivo foi avaliar os resultados cirúrgicos, incluindo as taxas de sobrevivência e de progressão dos doentes submetidos a cirurgia torácica com intenção curativa no Serviço de Cirurgia Cardiotorácica do Centro Hospitalar Universitário de São João entre 1 de agosto de 2012 e 30 de junho de 2018.

Foram incluídos 310 doentes. A maioria dos doentes tinha como estádio patológico IA e a lobectomia foi a cirurgia mais efetuada. A taxa de mortalidade intraoperatoriamente e nos primeiros 30 dias foi de 1,3%, e 26,7% dos doentes apresentaram pelo menos uma complicação no período pós-operatório.

Os doentes que no pré-operatório apresentavam um valor de volume expiratório forçado em 1 segundo (FEV1) inferior a 80% apresentaram uma maior taxa de complicações (diferença estatisticamente significativa). Os doentes que eram fumadores ativos ou com valor de ECOG PS diferente de 0 ou valor de FEV1 inferior a 80% associaram-se a um maior tempo de drenagem e de internamento (diferença estatisticamente significativa). A taxa de sobrevivência global foi de 92,6% ao 1 ano, 87,7% aos 2 anos e 79,1% aos 5 anos. As taxas de sobrevivência por estádio patológico foram semelhantes ao descrito na literatura.

Estes resultados têm implicação na nossa prática clínica uma vez que os nossos resultados são similares a centros internacionais, mantendo-nos mais alerta para avaliação pré-operatória.

Próxima notícia