Dr. Nuno Faria – Tuberculose e DPOC

Pneumologista no Centro Hospitalar e Universitário do Porto

Apresentação Oral

Impact of pulmonary tuberculosis on COPD outcomes

A história passada de tuberculose pulmonar (TB) é um fator de risco estabelecido para doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), mas o seu impacto nas exacerbações de DPOC e na sua mortalidade é ainda um tema em debate. 1 Realizou-se assim um estudo retrospetivo em doentes DPOC seguidos em consulta de Pneumologia entre 2016-2020, tendo como outcomes mortalidade e exacerbações graves de DPOC. 

De um total de 322 doentes, 63 (19,6%) tinham história de TB. A história de TB era mais comum naqueles com infeção VIH (7,9% vs. 3,1, p=0,080) ou a viver em áreas urbanas (76,2% vs. 64,9%, p=0,086). Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas para idade, score CAT, hábitos tabágicos ou contagem de eosinófilos no sangue periférico. Os com história de TB eram mais frequentemente não vacinados para influenza e pneumococcus (27,1% vs. 13,2%, p=0,019). História passada de TB foi também mais comum nos grupos GOLD C ou D (47,6% vs. 30,9%, p=0,012), refletindo uma tendência para um fenótipo exacerbador nestes doentes. A história de TB foi também associada a uma maior frequência de exacerbações (47,6% vs. 35,5%, p=0,076) durante o último ano de seguimento e a um aumento na mortalidade aos 4 anos (17,5% vs. 9,7% na não-TB, p=0,078), embora ambos não estatisticamente significativos. 

Em conclusão, os DPOC que sofreram de tuberculose no passado apresentaram maior probabilidade de pertencer a um fenótipo exacerbador (GOLD Grupo C ou D) e uma propensão para maior taxa de mortalidade aos 4 anos. 

1. Sarkar M, Srinivasa, Madabhavi I, Kumar K. Tuberculosis associated chronic obstructive pulmonary disease. Clin Respir J 2017;11:285-95.

Próxima notícia